13 maio, 2006

Sinto Falta!

Coisa horrível é ser anônima
não ter identidade, ser gaiata!
Coisa triste é ser ingrata
com a nossa natureza!
Experimentei esse veneno
ao fazer num comentário
num AnAgRaMa de palavras!
Foi cruel e desumano
a sensação de abandono
que fiquei depois de posto
meu comments na internet!
Onde ficou meu apreço,
auto estima e meu carinho?
Desconheço o caminho
que fez eu percorrer
esse limbo, esse lume
nesse Blog proibido!
Foi insano, foi tirano
o feitor dessa façanha,
pois o ganho desse feito,
foi tão torpe, foi tão feio,
que nunca mais visitei
esse espaço, esse cantinho
que tanto incentivei
pra deixar de ser segredo!
Mas bem dizem os antigos
que de todo o mal se desprende
para quem consegue sentir,
lições de vida, eternas,
que só o tempo ameniza!
Sou distante depois disso
de tudo que um dia disse
na emoção e no afeto!
Confesso
que não tenho mais acesso,
que não quero ter acesso,
e que me perdi nesse processo!
Fico em paz no meu recesso
sem postar nenhum comments,
apenas
sinto falta!

8 comentários:

Rosa Helena da Silva Rodrigues disse...

Magnífico esse poema, verdadeira jóia, um barato!!!
Verdadeiro quebra cabeça de intenções, sentimentos, desejos, e um jogo de palavras maravilhoso.
Parabéns do fundo do meu coração.
Bjs!

Luiz Carlos Oliveira disse...

Interessante esse poema. Muito interessante, mesmo!
Estás com a corda toda....eheheheheh!!!
Sempre tens algo novo para tornar poesia e é isso que eu gosto mais nos teus poemas.
Um abraço!

Isabella disse...

Nesse poema tu te superou, amiga!
Pareces que sempre tens uma carta na manga para mostrar.
De onde tu tiras tantas idéias, criatura?
Como consegues articular tão bem essas letrinhas, querida?
Fazes arte com as palavrtas e feito artista lanças purpurinas, embelezando com a tua emoção os mais estranhos versos, o que aliás eu acho admirável isso em ti, pois consegues tirar leite de pedras, a cada poema que escreves.
Achei genial....
Continua sempre assim, emocionando cada vez mais o meu coração.
Beijus!

ANÔNIMA disse...

Sinto nas tuas palavras um naquinho de dor e mágoa, mas o poema é belo.
Deus e a Virgem Maria conserve sempre esse dom maravilhoso de encantares com as palavras.
Um beijo.

Maria Eduarda Cancian de Carvalho disse...

Que legal achar esse poema onde falas que sentes falta.
Tu és feliz porque a tua falta é somente de um espaço para poder comentar num Blog.
Eu já sinto falta de tantas coisas, de pessoas, de lugares, de um amor, de amigos que o tempo desviou do meu caminho, do meu pai que nos abandonou, da minha mãe que faleceu tão jovem.
Tu és feliz, pois podes dar vasão aos teus sentimento sempre com uma pitada de romantismo e alegria, humor e esperança, tu és poeta!
Eu só sinto falta e nem posso colorir as minhas saudades.
Resta-me vibrar com as emoções dos outros.
Estou maravilhada com esse teu Blog e com certeza vou poder visitar às claras.....ehehehhehe!!

Eliane disse...

Encontrei o poema AnAgRaMa e achei o máximo no teu Blog. Tu faz misérias com as palavras. Consegue fazer poemas em cima de outros poemas. Haja inspiração!!!!
Que essa inteligência se conserve para todo o sempre!
Um abraço e parabéns.

Anônimo disse...

Sinto falta de ti, sinto falta da vida, sinto falta.....

Elenara Teixeira disse...

"...Sinto falta de ti,
sinto falta da vida
sinto falta..."

Também sinto falta de mim,
da vida que me fez amar o amor que nasceu de mim e que se perdeu na confusa ilusão que meu amor criou.
Sinto falta também...
Agradeço o carinho das palavras e que me motivam a construir outras intenções. Valeu!