12 março, 2006

Tô com raiva!

Aprendi contigo a rir, a sorrir, a ser feliz, a cair, a voltar, a navegar!
Aprendi a esperar, a blogar, me fiz aprendiz, da tua alegria e do teu sorriso!
Aprendi a escutar teus medos, teus segredos, tuas dúvidas, teus temores, teus amores!
Aprendi a querer e a torcer por ti, a vibrar, a fazer torcida, a gritar Yessssss!
Para quê?
Se és dura, cruel, imatura e insensível!
Apagas emoções, abortando sensibilidades com palavras amargas e doídas pra se esquecer!
Lavras emoções sentidas como se elas fossem as razões maiores de todos os males!
Eram só comentários!
Delete-os!


Um comentário:

Luiz Roberto disse...

Interessante esse poema. É moderno, usas palavras não usuais nas poesias mas que estão todos os dias junto da gente a nos mostrar que estamos sempre conquistando novos espaços e novas amizades. Consegues definir muito bem dois momentos nesse poema. Alegria, admiração e amizade, desencanto, desalento e muita tristeza.
Gostei do teu estilo, bem casual, não tem uma leitura cansativa.